Qual o tipo de vidro ideal para piscinas?



Já imaginou ter uma piscina de vidro em casa? Este tipo de projeto chama a atenção por trazer luxuosidade e originalidade ao ambiente externo. Bastante usada principalmente em áreas comuns de lazer de edifícios luxuosos e hotéis, este tipo de piscina pode ser também uma excelente opção para quem busca integração entre a própria piscina e as demais áreas.

Mas para criar um projeto como este, é necessário tomar alguns cuidados que garantam não só um visual incrível, mas principalmente a segurança de quem usufrui do espaço.

Confira então as dicas da Vidrosistemas sobre qual tipo de vidro é mais ideal para piscinas, e os cuidados e desafios para este tipo de projeto.

Vidro Laminado Temperado

Sem dúvida esse tipo de projeto pede vidros laminado temperado. Um material nessas duas versões garante muito mais segurança, sem contar no sucesso da instalação, fixação e vedação. Isso porque quando um vidro é somente laminado, sua espessura teria que ser muito maior, deixando o material pesado demais para que seja apoiado pelas bordas.

Além disso, dificilmente seria possível igualar o apoio de todas as lâminas de vidro, aumentando, dessa maneira, a possibilidade de defasagem do produto mais rapidamente e a chance de quebra.

Por isso, o vidro Cebrace Extra Clear é perfeito para este tipo de aplicação. Este produto não só atende a todas as normas de segurança de projetos como este, como também oferece muito mais transparência, característica fundamental em piscinas de vidro.

Sem contar no apelo estético fantástico que o Cebrace Extra Clear confere. O efeito da luz e a sensação de liberdade para quem está nadando são sensacionais.

Os cuidados de se usar vidro em piscina

O maior cuidado de todos é a proteção da borda do vidro, que não pode ter contato direto com água. Por isso é fundamental ter a garantia de uma vedação bem executada, não só para a piscina não vazar, mas para que a água não chegue na borda do vidro e delamine o material.

Outra dificuldade é que, em função da pressão de água, todo e qualquer vidro vai ter uma deformação natural, flexionando ou ganhando um abaulamento. Portanto, é preciso dimensionar de maneira muito precisa o quanto cada vidro, em cada situação, pode deformar. E isso sempre deve ser relatado ao cliente para que ele aceite ou não seguir com o projeto.

Por exemplo, já se é sabido que acima de 3m o vidro vai começar a ter algum tipo de problema. Não existe um padrão do que pode ou não deformar, mas é fundamental realizar um cálculo bem feito e usar o bom senso no design e estética para não dar a impressão que o vidro vai quebrar ou que está torto.

Quanto à manutenção, a Vidrosistemas recomenda que seja feita uma inspeção criteriosa em todas as vedações a cada seis meses a um ano.

Os desafios de se usar vidro em piscina

Atualmente, um dos maiores desafios em projetos de piscinas de vidro é o tamanho dos painéis. Os arquitetos querem, cada vez mais, a maior lateral possível da piscina em vidro, e viabilizar este desejo pode ter um custo alto.

Outra questão é: quanto maior o painel, mais espesso é o vidro para suportar as pressões de água e mais complexa é a fixação. Em geral, as piscinas são fixadas somente pela base e apoiadas nos lados, ou seja, quanto maior o painel, mais espesso é o vidro, mais pesado é o vidro, dificultando o transporte e manuseio.

Portanto, achar esse equilíbrio da melhor relação custo, benefício e transparência para cada projeto também pode ser um enigma.

Conheça nossos projetos de piscinas de vidro. Acesse:


Piscina de Ondas - Praia da Grama

Piscina de Santos

Piscina de Maresias

Piscina de hidroterapia ganha visor de vidro

Mais vistos
Posts em breve
Fique ligado...
Noticias Recentes